terça-feira, 30 de junho de 2009

Caravana da Coragem

Graças à vida, graças à Deus somos tão egoístas.
Somos no sentido de "por sermos".
Tão ocupados em si, na "tríplice entente"enraizada em gamas das novas situações esquecemos até de crises políticas, escândalos parlamentares, mortes de celebridades e problemas do mundo.

É graças à vida.

Ao interno efervesce o que o externo nem imagina.
A intimidade, os bastidores.
As poucas e boas.

A história parece passar paralela ao nosso quarto.
Onde tecemos as nossas estratégias de guerrilha e diplomacia, onde "tratados de Tordesilhas" são mais francos e soluptíveis e onde furos pra tablóide nunca faltarão.

Mas a gente olha pro mundo assim; nem como mais, nem como menos... apenas diferentes do já que fomos.
Com olhos de adulto?
Enturmados com as nuas e cruas verdades?
Com feridas que um dia calejarão.
Mas ainda são feridas.
Que se carrega ao "aprender".

A pureza majestifica os acontecimentos, as preocupações os imparcializam e bons momentos os desapercebem.




Ps: A palavra "soluptível" não existe. Mas é exatamente isso ai. Soluptível sempre será soluptivel, em qualquer circustância.

Um comentário:

vanessa disse...

através de nossa janela vemos um mundo nosso.


o mundo, por sua vez, somente supõe o que somos nós.

somente supõe.


beijosss!