terça-feira, 2 de novembro de 2010

...

Dizem que o melhor lugar pra chorar é no banho.
As lágrimas se tornariam apenas mais uma gota d'agua se esvaindo pelo ralo.
Mas os gritos da dor no banheiro ecoam mais alto
Mais forte
Penetra o sofrimento nos azulejos e em todos os cantos da casa.
Mudou o trajeto do trem.
Desplaneja-se
E chora-se então em outros cômodos
Em todos os cômodos.
Por todo tempo e a dor não para.

Foi coroada a tristeza
Ela impera com mãos e dentes de ferro
Dilacera.
Arrebenta implacável os frangalhos de resto de alma.
É nuvem ácida estufando a eminência das lágrimas
Mais lágrimas.

Agora com tudo desarrumado vem à mente em longos flashes o meu pior pesadelo
Aquele onde tento emergir do oceano
Onde estou no fundo do mar tentando uma fuga da falta de ar que me cerca
Nunca sei se consigo pois acordo covarde antes de morrer na certeza desesperada que faltava ainda muita água pra nadar.
Respiro enfim mas, desperto me falta a vitalidade que suplanta o ar e o desespero é ainda maior.

Como se acorda se a vida não é sonho?
Como se foge pra não afogar?
Como?

São dúvidas e não perguntas
e as dúvidas são mais confortáveis que as respostas.
Ponho-me a contemplar o mundo e vivenciar as suas dores que a idade traz.
Choque de realidade crua e complexa.
Ai, se eu tivesse gás.

Um comentário:

Gabi de Davi disse...

Bonito texto, mas eu ainda prefiro chorar no travesseiro ou em frente ao espelho...
Coisas de mulher! rs

bjs