quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008

Salve Fernanda Maia!!!!



PRA TUDO PARECER NORMAL
(João Martins / Inácio Rios)


ME ESPERA, DAQUI A POUCO EU TÔ AI
ME ESPERA COM AQUELE SORRISO QUANDO EU SUBIR
SEVERA CONOSCO É A VIDA
QUE LEVA SEM DÓ QUEM NOS FAZ TÃO BEM

PARECE QUE AINDA ESTÁ AQUI
MAS AQUI NÃO HA MAIS OS SEUS ABRAÇOS
E LAÇOS E OS TRAÇOS NA MEMÓRIA SE PERDENDO
E A GENTE AQUI SOFRENDO
QUANTO TEMPO PRA CICATRIZAR
VOU VIVENDO POR VOCÊ
PARA TUDO PARECER NORMAL
E TODO O MAL SUCUMBIR

AO OUVIR A CANÇÃO
QUE "A VIDA ENSINOU, EU SEI"
VOCÊ ME VEM CELESTIAL
MAREJA O MEU OLHAR
E A SAUDADE
ME INVADE
ME INVADE!


...

O único consolo da saudade que se sente de alguém que parte é, pelo menos na minha crença, que a gente vai se encontrar de novo. Mas enquanto isso não acontece, machuca né?
Saber que passamos por tantas coisas, adversidades, dificuldades e se essa pessoa estivesse perto tudo seria muito mais facil, ainda mais quando é tão precoce essa perda.


Ter conhecido a Fernanda foi muito legal, mais um bendito fruto de Niterói na minha vida. Rapidamente nos tornamos grandes amigos. A conheci através do Inácio e foi só laiá-laiá! Boas lembranças...

Sempre sorrindo, de bem com a vida, uma das lembranças é que ela gostava muito de uma música do Arlindo Cruz e do Sombrinha que é citada no refrão: " A vida ensinou, eu sei, vivendo aprendi a amar. Morrendo de amor, sonhei com as voltas que o mundo dá...". Até hoje quando eu escuto essa música, a memória remete àquela época tão legal que a gente passou junto: das doideras que ela inventava, das confusões amorosas que ela tinha, das cachaçadas de Niterói ao Barril... ai ai... Foi pouco tempo... mas quem disse que as coisas têm de ser tãão extensas para serem prazerosas?

Opa!

Sem trocadilhos ou piadas infames* hein?!

Então que esteja com Deus, sempre olhando pela gente aqui.
Que fiquem sempre os bons momentos, que com ela eram absolutos, unânimes e realmente bons e a gente daqui vai lutando, vai vivendo, pra tudo parecer normal.

Essa foi pra você, parceira! Tamo junto sempre!


* Falando em INFAME, sem acento, e com "I" (nada de ENFÂME) muito bem esclarecido pela digníssima Eugenia Rodrigues e pelo digníssmo Maurício Araújo:

in.fa.me

1.Que tem má fama.
2.Que pratica atos desonrosos; desprezível, torpe.
3.Indigno.
4.Vil, abjeto.

3 comentários:

Eugenia disse...

valeu pela citação, amigo, mas nem precisava.
escuta, fiquei enternecida com a história da Fernanda, como ela faleceu? Qria saber mais sobre ela, parece, pela sua descrição e pela foto, uma pessoa encantadora.
beijos.

Paula disse...

Bonita homenagem!!!
Que esteja em paz...

Beijos pra tu, coisita!

Renata disse...

João...adorei sei blog...samba, saudade e poesia....e com dicas da nossa querida língua pátria!!!!
p.s: Tenho ouvido umas músicas lindas suas e gostaria de saber quem gravou o surdo e o bandolim??

bjs e PARABÉNS!!!!